Você tem planos de visitar um país muçulmano? Se a tolerância e a liberdade são fatores que pesam na hora de escolher, o Reino Hashemita da Jordânia (nome oficial do país) pode ser uma boa pedida. A famosa capital Amã é moderna, tem redes de hotéis de luxo, restaurantes para todos os bolsos, mas também guarda em suas ruas antigas o tradicional e o antigo.

Você pode beber sua cervejinha em um pub na cidade, dirigir sem medo de assaltos e curtir os passeios que o país oferece com suas paisagens cheias de contrastes, vai dos desertos aos Resorts no Mar Morto e Mar Vermelho. A imagem da rainha Rania, esposa do atual príncipe Abdullah bin al-Hussein, pode ser comparada a jovialidade de um país que há apenas 100 anos é independente.

43

Créditos: Roberta Clarissa

Vista panorâmica do Teatro Romano, no centro antigo de Amã

Apesar da Jordânia estar ali, na divisa com a Síria, também com a Arábia Saudita, Iraque e Israel, o país guarda uma situação de paz.  Porém os soldados armados em frente de cada embaixada, e o controle de bolsas e malas dos carros na entrada de cada shopping, lembra aos moradores e visitantes que é preciso não amolecer diante do terrorismo.

Não é à toa que o país ganhou a fama de oásis do Oriente Médio. Na Jordânia vivem muçulmanos e cristãos, é possível dizer que a tolerância é exercida, um bom exemplo é que a paisagem da cidade não é só formada pelos minaretes das mesquitas, há igrejas cristãs com missas em diferentes línguas.

O centro antigo de Amã é local imperdível, completamente diferente dos bairros modernos e elegantes. A área dá a real impressão do comércio árabe, ruas estreitas e cheias de comerciantes, trânsito caótico e um colorido intenso. A Citadel fica logo ali em meio ao belo caos.

263

Créditos: Roberta Clarissa

Ruínas do Templo de Hércules, resquícios do Império Romano em Amã

Levando  em consideração que a área é ocupada desde a Idade do Bronze, você pode imaginar a riqueza dos resquícios históricos. Não perca o Templo de Hércules, o Palácio Umayyad e a Basílica Bizantina.  Como a Citadel fica em uma das montanhas de Amã, a cidade foi toda erguida sobre elas, você tem uma linda vista sobre a cidade. Outro ponto no centro é o Teatro Romano, um típico exemplo da arquitetura helenística, com auditório, cenário e púlpito.

Roberta Clarissa, brasileira que reside atualmente na Jordânia

Créditos: Arquivo pessoal

A brasileira Roberta Clarissa, que reside atualmente na Jordânia

Se você pensa que Petra é o único destino válido para passar seu tempo na Jordânia, vamos aqui conhecer outros lugares imperdíveis fora da capital, sua lista vai ficar ainda mais interessante.

Jerash

Jerash, situado 48 quilómetros ao norte de Amman, é considerado um dos maiores e mais bem preservados lugares da cultura romana no mundo, fora da Italia.

Créditos: Roberta Clarissa

As ruínas de Jerash são consideradas um dos maiores e mais bem preservados lugares da cultura romana no mundo fora da Itália

Basta pegar a estrada ao norte do país saindo de Amã, após 48 km você chega a Jerash ou Gérasa, como também era chamada quando estava sob domínio romano . É uma cidade milenar que mantém a arquitetura greco-romana, muito bem conservada, com anfiteatros, palácios, ruas inteiras para você percorrer. Sao mais de 6 mil anos de história, foi uma das cidades da unidade Decápolis,  conquistada por Pompeu em 63 a.C. Não entrou na lista da Unesco e por isso pode passar despercebida para quem vem visitar o país rapidamente

Madaba

A Cidade dos Mosaicos oferece um passeio por diferentes sítios históricos, eles são espalhados em diversos pontos da pequena cidade da Jordânia. Igrejas bizantinas ainda contam a história do passado através dos pisos de mosaicos, as mesmas imagens são reproduzidas por artistas locais e vendidas em inúmeras lojinhas pelo centro.

685

Créditos: Roberta Clarissa

A maior parte dos turistas vão à Madaba por causa do mosaico que fica na igreja grega-ortodoxa de São Jorge, também conhecida como a “Igreja do Mapa”

Há uma programa local para incentivar a manutenção da produção da arte tão presente no passado da cidade. A peça mais importante é um mapa de Jerusalém feito de 2 milhões de peças coloridas, no piso da igreja grega-ortodoxa de São Jorge,  data do século 6. O Parque Arqueológico e Museu da cidade também guarda muitas peças valiosas. E o melhor, apenas 30 km de Amã.

Mar Morto

O Mar Morto está a apenas 1 hora de carro saindo da capital. Numa longa faixa em frente ao mar, que mais parece um grande lago, estão os resorts de luxo, locais ótimos para relaxar, conhecer as medicinas naturais da argila do mar morto e por que não, flutuar nas águas salgadas. São 300 metros abaixo do nível do mar.

744

Créditos: Roberta Clarissa

Um dos resorts de luxo que ficam nos arredores do Mar Morto

Para quem nunca usufruiu da sensação de flutuar, é incrível, leve um livro e sente na água, será uma experiência única! Os hotéis oferecem serviços de spa e alguns tem até piscina de argila. São comercializados cosméticos das linhas de tratamento para a pele com os sais minerais encontrados no Mar Morto, ótima dica para presentear.

Aqaba

A cidade mais distante da capital, são 330 km. A litorânea cidade descansa em frente ao golfo do mar Vermelho e, em um passeio de barco, que sai do centro de Aqaba, você vê do outro lado do mar Israel e o Egito.  A cidade é bem movimentada, muitos turistas, entre eles russos, americanos e muitos árabes da  Arábia Saudita. Não faltam restaurantes especializados em frutos do mar. Os hotéis oferecem aulas de mergulho e programas para os aspirantes verem os famosos corais da região.

Aqaba

Créditos: Aviad2001/Wkimiedia Commons

 

A moeda local é o dinar, a  língua oficial é o árabe, mas o inglês é bem falado na maior parte dos pontos turísticos e na capital. O visto para brasileiros pode ser retirado no aeroporto, garanta seu seguro viagem internacional, e se for fazer mergulho em Aqaba ou voar de balão sobre os desertos, escolha um seguro que cubra esportes radicais, as redes de hospitais locais são privadas e caras.

E se você pensa que acabou, está enganado. O deserto de Wadi Rum,  a Vila de Beduíno Dana, o local de batismo de Cristo e o Castelo Ajlun são outros passeios imperdíveis. Mas ai é assunto para outro artigo.