A crise econômica que atingiu o Brasil no final de 2015 frustrou os planos de muitas pessoas que pretendiam viajar para o exterior. Um dos fatores foi à alta do dólar, que já chegou a ser cotado em mais de R$4, e teve reflexo direto na queda das viagens internacionais.

Em 2016, as viagens dos brasileiros tiveram uma retração de 7,8% ante 2015. Entretanto, no primeiro trimestre de 2017, houve crescimento de 23,5%, conforme a FowardKeys, uma pesquisa panorâmica global das viagens aéreas que prevê padrões futuros com base em 16 milhões de reservas.

Créditos: Arquivo pessoal

O casal Allyson Natier e Bruno Pinheiro, que já morou em mais de 40 países, compartilha dicas de como economizar para viajar mais

Mas será que para viajar para outros países o brasileiro precisa sempre estar vinculado com a queda ou alta do dólar? Obviamente, quando mais alta for a cotação, mais cara a viagem fica.

Para o casal Allyson Natier e Bruno Pinheiro, criadores do site de viagens "Família sem fronteiras", existe outras formas de juntar dinheiro sem ter que se preocupar com a oscilação da moeda estrangeira.

O casal, junto com seus dois filhos, já morou em mais de 40 países em apenas dois anos e afirma que se fosse depender da cotação do dólar ou euro, tinha feito apenas 25% das viagens até o hoje.

"Fatores como planejamento e a redução de itens de consumo no mês podem contribuir para que a tão sonhada viagem no exterior aconteça", conta Bruno, que é especialista em marketing.

Com ajuda do casal selecionamos seis formas de economizar para poder viajar muito durante o ano:

1 - Segunda renda online

Créditos: a_crotty/iStock

Um mercado em crescimento é o de afiliados, onde é possível trabalhar nas horas livres

Nos dias de hoje é possível ter uma segunda renda trabalhando on-line em qualquer setor. Mesmo que a pessoa não seja um gênio da internet, com as redes sociais é possível conseguir uma segunda renda com facilidade. De acordo com Bruno, hoje existe um mercado em crescimento que é conhecido como afiliados, ou seja, a pessoa se afilia com algum produto que se identifica e passa a ser representante dele para seu círculo de contatos.

Em cada produto que vendido, a pessoa é comissionada. Existem comissões acima de R$ 1 mil por produto. As principais plataformas são Hotmart e Monetizze.

2 - Happy Hour em casa

Qualquer tipo de bebida, seja etílica ou não, corresponde a mais de 100% de seu valor original em bares e estabelecimentos gastronômicos da cidade em que você mora. Ou seja, se toda semana um casal sai para tomar uma cervejinha em algum bar, ele vai gastar mais ou menos R$ 50 a mais do que gastaria dentro de casa com a mesma cerveja.

“Decidimos que não iríamos mais sair para beber com amigos em bares caros e luxuosos ou baladas sem necessidade, estipulando uma meta para onde viajaríamos nos próximos 30 dias”, diz Allyson.

3 - Menos consumo de bens materiais

Em 2016, o valor médio de compras parceladas gasto por brasileiros foi de R$ 198, de acordo com último levantamento da Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartão de Crédito e Serviços). Isso significa que em bens e consumo, o brasileiro pode gastar até R$ 1.000 no período de cinco meses.

Para quem quer viajar, este tipo de economia pode render um efeito mais imediato, umas vez que roupas e eletrônicos possuem uma vida útil razoável e não precisam ser trocados mensalmente.

4 - Vaidade não é prioridade

A vaidade feminina e masculina alimenta um mercado em ascensão que movimenta mais de R$ 38 bilhões por ano no país, segundo a Abihpec  (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos). Em outra pesquisa, de acordo com uma dados divulgados pelo site de relacionamento Meu Patrocínio, as mulheres gastam mais do que a metade do salário (54%) com o visual.

“Não é necessário abdicar da vaidade, mas sim controlá-la e economizar para poder viajar. Se uma mulher gasta R$ 500 por mês em cabelo e unha, uma economia de 25% já pode ajudar em uma viagem no final do ano”, explica Allyson.

5 - Planejar a viagem com antecedência

Créditos: kitzcorner/iStock

O planejamento é uma das etapas mais importantes da viagem

Um dos pontos mais importantes de uma viagem é o seu planejamento. Não basta apenas definir o destino, mas como será a viagem como um todo. Para economizar um pouco no custo da passagem aérea, vale comprar com uma antecedência de oito a 12 semanas.

As companhias aéreas costumam fazer promoções para diversos destinos e existem blogs e sites especializados em apenas a fornecer estas dicas de promoções relâmpagos.

6 - Esqueça acomodações de luxo

Para quem quer fazer viagens para vários destinos em curto espaço de tempo, a principal dica é não se acomodar em hotéis cinco estrelas. Com o crescimento de startups de reservas de hotéis ou aluguéis de casas por temporada, o preço da hospedagem vem caindo e beneficiando o bolso do turista.

“Quando uma pessoa vai viajar, ela se esquece que vai passar apenas 15% do tempo do seu dia dentro de um quarto de hotel. Os outros 85% serão consumidos em passeios e compras, ou seja, ao invés de gastar com um quarto que ofereça cama king size e piscina exclusiva, opte por uma hospedagem que seja bem localizada, que traga um conforto – justo - na acomodação e seja limpo".