Em tempos de crise, qualquer economia é sempre bem-vinda. Ainda mais quando o assunto for viajar. Uma alternativa para garantir um bom desconto na compra de passagens aéreas ou reserva de hotéis é usar os pontos/milhas acumulados nos programas de fidelidades ou cartões de créditos.

Em alguns casos, essa economia pode chegar até 40%. Mas para conseguir viajar usando as suas milhas, a dica é ficar de olho nas promoções de passagens com pontuações baixas divulgadas pelas companhias aéreas de tempos em tempos e já ter planos definidos sobre os locais que gostaria de conhecer.

Créditos: conejota/iStock

Vale a pena centralizar seus pontos/milhas em um único programa de pontos de uma companhia específica

Além dos programas tradicionais das companhias aéreas nacionais, como TudoAzul (Azul), Smiles (Gol), Latam Fidelidade (Latam, antiga TAM) ou Amigo (Avianca), é possível comprar passagens através de plataformas que comercializam milhas, como MaxMilhasCompro MilhasCentralMilhasHotMilhas, entre outros.

Elas fazem a intermediação entre vendedores e compradores e cobram comissões por cada transação realizada. O serviço não é considerado ilegal, já que não há leis no Brasil que regulem este comércio.

Mas é bom ficar atento, pois todas estas plataformas pedem para que o usuário forneça dados pessoais e alguns até mesmo a senha do programa de fidelidade para que possam fazer a emissão das passagens aéreas.

Créditos: iStock

A maioria dos cartões de créditos oferecem programas de fidelidade, permitindo que os clientes acumulem pontos

Confira abaixo algumas dicas para acumular e usar milhas para viajar.

Concentre seus gastos em um único cartão de crédito

A maioria das bandeiras oferece programas de fidelidade, permitindo que os clientes acumulem pontos que podem ser convertidos em milhas aéreas. Quanto mais você usa o cartão, mais pontos são acumulados durante um período menor. Verifique o funcionamento do programa de seu cartão e em quais companhias aéreas você pode utilizar as milhas acumuladas.

Fidelização também ajuda

Vale a pena centralizar seus pontos em um único programa de pontos de uma companhia específica. Opte pela empresa que oferece os melhores preços e benefícios ou mesmo que faça parte de alguma grande aliança. Geralmente, clientes fiéis criam um histórico que pode aumentar a pontuação das milhas.

Renda-se às conexões

A maioria das companhias de milha atribui pontos a partir das distâncias percorridas em voo. Se for o caso do seu programa de milhas, as conexões vão gerar mais pontos do que voos diretos ao destino final.

Vender ou comprar milhas pode ser um bom negócio

As milhas cumuladas têm prazo de validade. Isso pode ser um transtorno se você possuir milhas demais ou de menos para viajar. Fique atento à data de expiração e para atingir o seu objetivo de viagem. Se as milhas estiverem sobrando, vale mais a pena vender e conseguir um dinheiro extra. Já quem precisa de poucas milhas para completar sua meta de viagem pode comprar o pouco que falta para não adiar os planos.

Lembre-se de utilizar as suas milhas para algum fim antes você perca o benefício. Existem sites especializados no assunto que fazem a com segurança pela internet (relação no início do texto).

Cartões de créditos

Quem pensa em adquirir um cartão de crédito com foco nas milhagens, deve levar em conta quais são as companhias parceiras do cartão, a taxa de conversão de pontos, as regras de transferências de pontos de viagem, o valor da anuidade do cartão e a validade dos pontos.

Em geral, o valor total das compras mensais é convertido em dólar e, a cada dólar gasto, você ganha uma quantidade de pontos preestabelecida pela operadora do cartão de crédito. Apesar de o dólar estar alto e o acúmulo de pontos no cartão enfraquecido, concentrar todas as compras no cartão de crédito permite juntar boa quantidade de pontos. Mas essa dica é válida, somente se estiver com as finanças em dia.

A Proteste (associação de consumidores) tem uma ferramenta que auxilia o consumidor a calcular qual deve ser seu gasto mensal no cartão de crédito, com a função habilitada, para acumular pontos correspondentes a milhas aéreas.
A calculadora pode ser baixada no site da Proteste.
Quando usar as milhas

De acordo com Oktoplus, serviço on-line gratuito que permite gerenciar diversos programas de fidelidade em uma única plataforma, o usuário deve ficar atento à relação pontos/preços para saber se vale a pena usar ou não as milhas para comprar a passagem.

Se 1.000 >= R$ 35,00 – Use pontos (ex: passagem custa R$ 800 ou 20.000 pontos >> 1.000 = R$ 40 – use os pontos);

Se 1.000 < R$ 35,00 – Compre em dinheiro (ex: passagem custa R$ 150 ou 8.000 pontos >> 1.000 = R$ 18,75- Compre a passagem por R$ 150)